Viajando para a Espanha pela primeira vez

 

Eu sempre fui aquele tipo de pessoa que prefere mil vezes ir de carro ou ônibus do que encarar uma viagem de avião.

Não adianta, eu fico super nervosa e mal consigo dormir dias antes e menos ainda durante o trajeto. Agora imagina como eu estava uma semana antes de embarcar na minha primeria viagem internacional e completamente sozinha? Eu tremia mais que um pinscher.

 

De belém para São Paulo 

Como uma espécie de sofrimento prévio, encarei primeiro uma viagem de 4 horas da minha cidade até São Paulo.

Motivo? Comprei uma passagem promocional pela Ibéria, com voo direto para Madri. Foi tranquilo e favorável . Já estava acostumada com esse trajeto, afinal, eu já tinha morado em Sampa e conhecia bem o aeroporto e a cidade. O ruim  de comprar passagem promocional é que quase sempre você não escolhe a data que deseja e nem o horário. Eu ia passar mais de 24 horas viajando ( entre escalas e voos de conexão).

Tenso. Era meu teste de fé, porque gente, eu odeio viajar em avião. E ia chegar em pleno inverno europeu. ( A pessoa é corajosa, né? hahaha)

Cheguei as cinco da manhã e o próximo voo era somente as cinco da tarde. Andei o aeroporto inteiro, dormir agarrada nas minha malas e bolsa  quem nunca e o dia ficou longo.

Dava onze da noite mas não dava as cinco da tarde. Me senti meio Tom Hanks, em O terminal. Mas, para não chorar sempre lembrava que por fim ia alçar um voo mais longe de casa. Literalmente. 

Tom Hanks, em O terminal

Finalmente, fiz o check-in e vi muita gente vestida para a entrega do Oscar. Casaco de pele, botas longas e até luvinhas. Eu toda trabalhada na roupa do seu madruga, bem básica e apenas com um casaco que parecia um tapete velho. Era isso ou  passar frio, fazer o que! 

De Sampa para Madri

Faltando poucos minutos para embarcar, minha ansiedade estava a mil e comecei a ter uma dor abdominal, suar frio, uns tremiliques loucos e pensei: Depois que eu entrar no avião isso vai passar. Sonho meu. Pirou foi tudo! 

O voo acabou atrasando  porque caia uma chuva medonha, raios e os diabos  a quatro. Ou seja, clima mega agradável para  sua primeira viagem internacional atravessando o Atlântico. Enfim, levantamos voo e ao meu lado três idiotas britânicos e outros 4 nas poltronas de trás. 

Pensei: vou relaxar e dormir. Com uns 30 minutos de voo o avião passou por uma turbulência tão forte, que a minha alma saiu do corpo umas 10 vezes . Em seguida tudo se apagou e avião teve uma caída de uns 3 segundos,que pareceu eterna. Foi horrivel. Uma gritaria. Meu coração na boca. Uma experiência  que jamais vou esquecer. 

SOCORRO

 

Gente, como se isso não tivesse sido o bantante, começou um barraco tenebroso dentro do avião. E adivinha em qual fila? Na minha. Inacreditável. A coisa ficou tão tensa, que um passageiro deu um soco na cara do outro, as aeromoças tentavam separar, eu me peidando toda, e vários fofoqueiros se amontoando para saber o que acontecia.

Levantou um homem de 2 metros de altura e resolveu a situação em segundos, amarrando um dos passageiros britânicos (que estava alcoolizado). Quando pensamos que por fim tudo estava em paz, o cara passou o resto da viagem dando gritos como um louco. Até papel higiênico enfiaram na boca dele..e nada. 

Me trocaram de lugar,  o arrependimento já tomava conta do meu ser e um senhor que viajava ao meu lado,olhando fundo dos meus “zói” disse: Acho que não chegaremos em Madri. MANO DO CÉU! SENHOR, muito agradecida por essa palavra de conforto.

O jantar foi servido atrasado por conta dessa confusão toda, a aeromoça com um sorriso nervoso na cara, me perguntou: Pescao, Pollo o Ternera? PQP queria chorar.Não sabia porra nenhuma de espanhol e não tinha ideia do que era isso. GENTE (pausa para risos KKKKKKKKKKKK) Fiz cara de paisagem e ela  fez a pergunta em inglês. PIOROU!!

Felizmente ela deu uma ultima opção: Pasta. Foi Deus pegando na minha mão, eu tava mooooorta de fome e sabia que isso era macarrão com alguma coisa por cima. 🙂 

Aterrizamos em Madri, “GRAZADEUS”!!

A viagem foi longa. O cara não deu tregua e passou horas gritando. Passageiros cansados, estressados e quando todo mundo pensava que, por fim, podiamos desembarcar, o piloto anuncia que não podiamos sair até a policia retirar o passageiro que colocou o voo em risco.

Parecia cena de filme.Várias viaturas cercando o avião, pessoas em silêncio, o louco gritando e uns 10 policiais magia  entrando no avião. 

Conseguimos desembarcar. Eu perdida sem saber para onde ir. Entrei numa fila no controle de imigração que não andava, enquanto que a do lado o policial apenas carimbava e não perguntava nada.  Será que sou sortuda? PQP.

Chegou na minha vez, eu já estava tão estressada da viagem, de não dormir, de cansaço, que todo o nervosismo antes de embarcar ficou pelo caminho. É AGORA, SENHOR, SEGURA NA MINHA MÃO!

Respondi as perguntas em português, mostrei os comprovantes, o policial me olhou duas vezes e por três segundos o mundo parou. A unica coisa que eu pensava era: Carimba essa porra ai, meu filho. Funcionou. Ele carimbou meu passaporte. Ainda tenho a leve impressão de que sai da frente dele dessa maneira.

UFA! Depois disso uma mistura de sentimentos tocaram meu coração. Era adrenalina, felicidade, alegria, era tudo ao mesmo tempo. Nem acreditava que estava na Europa.Que sonho!

Lembra que disse aí em cima que comprei a passagem numa promoção? Minha conexão de Madri a Valência era simplesmente de 11 horas. JESUS COROADO! Eu já não aguentava de cansaço e sono, mas sabe quando você não consegue dormir de tanta felicidade?

Conheci o aeroporto de cabo a rabo, ia pra um lado, ia pra outro e arrisquei no espanhol RDB (rebeldes) pela primeira vez. Sabe o mais legal? Fui bem atendida em todo momento. Vencida pelo sono, me rendi e dormir no banheiro. Soa fim de carreira né? Mas, mores é um banheiro na Europa, em Madri, então tá valendo! 

E você, como foi sua primeira viagem internacional? Conta aí nos comentários! 


Se inscreva no blog e receba diretamente no seu email todas as nossas  novidades. Para entrar em contato, utilize o formulário abaixo.

Saludos!!

Taiana Jimenez

Sou brasileira, residente e apaixonada pela Espanha. Amante de viagens e da cultura espanhola, compartilho com vocês minha experiência e as melhores dicas para quem deseja morar, estudar ou turistar pela terra de Cervantes!