Anúncios

O que Eu Aprendi Morando Fora do Brasil – 3 anos na Espanha

Follow Partiu Espanha on WordPress.com

Eu sempre fiz parte do grupo de pessoas que acreditava fielmente que morar nas “Zoropa” era viver em um paraíso, com lugares incríveis, gente educada, sem violência e zero pobreza. Enfim, uma vida regada de coisas que consideramos “chique”, por assim dizer.

Em parte, realmente em muitos paises europeus se vive muito bem, mas foi somente quando pisei pela primeira vez fora do Brasil, tive consciência de que nem tudo lá fora é melhor do que ali dentro.

A Rapadura é doce, mas não é mole, não!

Talvez essa seja a frase que represente a vida fora do Brasil. A vida na Espanha, por exemplo, é muito boa quando comparada ao Brasil, mas nem tanto quando comparamos com a Suiça, por exemplo.

Aqui encontrei um país mais justo no sentindo de não ver tantas diferenças sociais, ainda que existam. Encontrei cidades limpas, segurança, ensino público de qualidade e um sistema de saúde que funcionava. Confesso que nos primeiros meses eu apenas conseguia ver o lado positivo.

Me encantei pelas antigas ruas e casas bem preservadas, pelas ciclovias e parques conservados, pela acessibilidade das pessoas com mobilidade reduzida, enfim, por uma série de coisas que me deixavam pensantiva em relação ao Brasil.

Mas,os meses foram passando e como em um livro, chegou o próximo capitulo. Foi o momento de sentir na pele as dificuldades de ser imigrante. Não é nada fácil, acredite!

Se integrar em um país que apesar de ter algumas semelhanças com o Brasil, está longe de ser algo simples. Exige dedicação, peito aberto e muita paciência. O processo tem inicio, mas nunca fim.

bad

Tem dias que a tristeza se apodera, mas depois passa. Foto Reprodução

Você vai encontrar pessoas de todos os tipos, gente alegre, chata, gente que vai te tratar bem…e outros que não. E as vezes vai pensar em fazer as suas malas e voltar. 

Vantagens e desvantagens que precisam ser bem medidas, porque senão o sonho europeu, pode sim, se transformar em um grande pesadelo.

Brasileiros se tornam inimigos

A primeira vez que sai completamente da minha zona de conforto, foi quando decidi continuar meus estudos universitários em São Paulo. Sai de Belém sozinha, com uma mochila nas costas e cheias de sonhos em direção aquele grande caos.

Morei em uma república, primeiro com catorze pessoas e logo depois com mais de vinte. Era um entra e sai, que eu realmente nunca consegui contar ao certo quantos viviam ali.Uma loucura!

Foi díficil, mas nem se compara com o que encontrei ao sair do Brasil. Digo isso, porque mesmo estando a quilômetros da minha casa, sempre encontrei brasileiros que me estenderam a mão, e no final das contas se tornaram grandes amigos.

Mas, parece que isso não funciona exatamente assim quando você atravessa o oceano. A percepção que eu tenho é de que existe  uma grande competição entre meus conterrâneos: “Eu tenho documento e você não”, “Eu vivo bem e você não”, ” Minha vida é melhor que a sua, sim”.

Encontrei brasileiros que já não sabem mais falar o português, os que passam a maior parte do tempo falando mal do Brasil  e o grupo que  não suporta viver na Espanha, mas não tira o pé do país. E te confesso que continuo sem entender.

Viver no exterior ja é tão dificil que sinceramente não entendo esse tipo de comportamento que podemos ver a torto e direita. Infelizmente, você encontrará mais pessoas querendo te prejudicar que ajudar.

É incrivel como uma das primeiras coisas que a gente faz ao chegar em um país para morar, é procurar por brasileiros na região. A necessidade de fazer amizade com alguem da sua terra parece que aflora, e mesmo que o “tiro saia pela culatra”, felizmente sempre existe alguém com quem você poderá contar.

amistad

Dizem que “Quem tem um amigo, tem tudo”. Pura verdade

Micos e muita história pra contar

Pagar mico é uma sina na minha “life”, mas no final é bom porque sempre faço meus amigos rirem. São tantas histórias que no final a gente ja não sabe se faz um filme ou escreve um livro. 

Morar fora do Brasil me proporciona tantos micos… que minha gente, só Deus sabe (hahaha). As histórias se multiplicam e são muito mais intensas. É o que dar, sair da zona de conforto.

Solidão e nostalgia te visitam com frequência

É engraçado como mesmo estando plenamente feliz, sentimentos como solidão, nostalgia e principalmente a saudade, aparecem com frequência. É impossivel viver coisas tão legais e não lembrar de uma amiga que adoraria conhecer tal lugar ou de um familiar que deveria estar ali com você.

nostalgia

Olhar fotos antigas faz parte – Foto reprodução

Vem lembranças de como era a sua vida no Brasil e muitas vezes minimizamos todas as dificuldades vividas, e entra a sensaçao de que não era tão ruim assim. Saudades da familia, dos amigos, das coisas que você deixou, aparecerão vez ou outra para te visitar.

Ai o que você faz? Pega o celular e liga, manda mensagem, entra no skype e quase sempre não consegue falar com o povo do outro lado, fuso horário nem sempre ajuda, e as distâncias com o passar do tempo aumentam. Seus amigos fazem novos amigos, a vida do outro lado continua e desse aqui também. 

Você aprende a se virar

A vida fora do Brasil te obriga a ser independente. Você aprende a se virar na marra. Passa a se preocupar com as contas no fim do mês, como conseguir dinheiro, ir de um lugar a outro, tentar de todas as maneiras se integrar,fazer novas amizades, aprender um novo idioma, encarar de frente todas as dificuldades. E isso é bom, porque te faz amadurecer sim ou sim.

O Patriotismo aflora

Eu amo ser brasileira, mas na Espanha eu aprendi a valorizar muito mais minhas origens. Eu apresento o Brasil que poucos conhecem…aquele que não é so bunda, futebol e samba no pé. E, não sei bem porque, mas só quando a gente esta fora e que vê o potencial que o nosso país tem. E aí bate uma tristeza tão grande, porque tenho quase certeza que se tivessemos a mesma qualidade de vida que encontramos na Europa, pensar em sair do Brasil seria só a passeio mesmo.

brazil-2128654_960_720

Os espanhois, em geral,  são pessoas alegres e de uma energia contagiante, mas estão bem longe de alcançar o nosso carisma. E isso nos faz ser bem recebidos em praticamente todos os lugares.

Uma vez uma pessoa me disse que somos como cão fiel ao dono: impossivel de não amar. (Me chamou de cachorra, mas achei fofo) hahah. A piada a gente não perde né? Taí outra coisa que sinto falta aqui. O humor brasileiro é incomparável. 

O custo de vida no Brasil é alto

Eu so fui saber disso quando cheguei aqui. Gente, o Brasil é para ricos, sinceramente e infelizmente. Tudo no Brasil é bem mais caro que aqui, de eletrodomésticos a roupas.

Aqui na Espanha, encontramos tudo bem mais acessível econômicamente, além de muitas atividades culturais, educacionais e esportivas de forma gratuita.

Tudo bem ser farofeiro

A simplicidade foi outro ponto forte que aprendi aqui na Espanha. As pessoas não possuem a extrema necessidade de mostrar bens materiais ou ir ostentanto por aí.

Vejo muita gente levando água, refrigente e lanches nas mochilas em seus passeios ao parque ou praia. Não sei da onde tiramos que na Europa é tudo “chique”, na verdade é tudo bem simples, e eu adoro.

A Espanha não é a cereja do bolo

Não canso de bater nessa tecla porque as vezes a gente não tem noção de como as coisas funcionam fora do Brasil. A Espanha é um país incrivel, cheio de lugares lindos, história, bom clima e muito bom para viver, mas também é um país com pobreza e dificuldades. 

Não é o lugar perfeito, aliás, acho que nem existe. Em qualquer ponto do mundo, sempre haverá coisas boas e ruins. Eu amo esse país e sou muito feliz aqui, mas conheço de perto suas dificuldades e limitações.

DSCN2957

Feliz, mas com o pé no chão. (pelo menos um deles esta)

Como se isso tudo não bastasse, aprendi a lidar com frustrações, ansiedades e dilemas que vez ou outra, ronda a  minha  cabeça e a de qualquer imigrante: “Fiz a coisa certa?”, ” Será que eu volto?”, “Melhor tentar outro país?” Hahaha. 

No mais, os aprendizados continuam e seguirei te contanto a dor e a delicia de viver do lado de cá.


Gostou desse texto? Não esquece de deixar sua avaliação nas estrelas que aparecem logo no inicio. Se inscreva no blog e receba diretamente no seu email todas as nossas novidades. Para entrar em contato conosco, utilize o formulário abaixo:

Anúncios
Follow Partiu Espanha on WordPress.com
Sobre partiuespanha (157 artigos)
Taiana Amaral Jiménez, é brasileira residente e apaixonada pela Espanha. Criou o Partiu Espanha com o objetivo de compartilhar as melhores dicas para brasileiros que desejam viajar, estudar, trabalhar e viver no país. :)

3 comentários em O que Eu Aprendi Morando Fora do Brasil – 3 anos na Espanha

  1. Cecília Amaro // 5 de maio de 2017 às 17:47 // Responder

    Gostei muito de ler este texto. Bem realista. Fizestes uma análise bem didática dos pontos positivos e negativos.

    Curtido por 2 pessoas

  2. Luciano Bruno Silva Saldanha // 3 de maio de 2017 às 20:56 // Responder

    Sinceramente, achei excelente essa sua publicação, mostra que realmente não é só flores, que dificuldades teremos e muito, no próximo ano estarei aí, se Deus quiser, estou me preparando para isso. Obrigado pelas postagens, para mim em especial, são enriquecedoras.
    Abraço!

    Curtido por 1 pessoa

Obrigada por deixar seu comentário!!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: