Ser mãe longe da nossa mãe

* Por Leonardo Vieira

Ser mãe é uma das tarefas mais difíceis da vida de uma mulher.É abraçar uma nova vida de sacrifício em benefício de um pequeno milagre que começa por ser gerado no ventre.

Ser mãe não é apenas carregar um filho durante 9 meses, é saber carregá-lo durante toda uma vida. É um trabalho a tempo inteiro, uma vida de alegria imensa imersa em um cotidiano de preocupações. Uma ligação única e gratificante, mas física e emocionalmente desgastante.

Por isso é que todo o apoio é bem-vindo! E quantos mais puderem fazer parte da criação de uma criança, melhor!

Mas nem todas as mulheres tem esse privilégio. Pior, nem todas as mães tem sequer a possibilidade de contar com a ajuda e seguir o exemplo daquela que deveria sua melhor inspiração: sua própria mãe.

No mundo cotidiano as mães criam os filhos longe de suas mães

Mas as circunstâncias dos dias de hoje são bem diferentes daquelas vividas pelas gerações anteriores, em que os ensinamentos sobre a maternidade eram passados presencialmente de mãe para filha.

Hoje muitas novas mães vivem longe das suas. O mundo atual foi concebido para que os filhos abandonem o lar e suas famílias cedo, e criem a sua própria família longe do cuidado e do carinho de suas mães.

Quando uma mulher se torna uma mãe e ocorre uma mudança assim tão radical em sua vida, não ter sua progenitora por perto é bem complicado!

Quantas mulheres você conhece nessa situação? Que tiveram de se mudar para longe de suas mães para poderem dar rumo em sua vida? Quantos desabafos você já ouviu? Essas sim, são as autênticas mães coragem, heroínas dos tempos modernos que lidam em solidão com o seu novo papel.

Mas numa hora dessas a mulher precisa das recomendações e dos conselhos de outra mulher experiente. De alguém que já tenha passado pelo mesmo e que a essa altura da vida sabe lidar naturalmente com a situação. Alguém de nossa extrema confiança, com quem não hesitemos em despir a alma e revelar nossos principais anseios e preocupações.

As mídias sociais podem até dar um jeito nessa coisa que é a distância, mas não é a mesma coisa não. Muitas mulheres não terão a quem recorrer nessa hora em que necessitam de tanto amparo.

As consequências da maternidade sem ninguém para ajudar

Depois, tem as questões práticas. A criança cresce, fica entregue na creche ou na escola. Mas para uma mãe trabalhando, essa ginástica de horários vai ser difícil de operar.

Quem leva o menino nas aulas de inglês? Quem vai pegar os garotos na escola? Puxa, mãe, socorro! Onde está você?

Essas vivências podem ser demasiado exaustivas, e a mulher corre o risco de ir se desleixando e ficar em segundo plano.

Pode ainda ir descuidando da sua relação, por não ter tempo nem como se organizar, e muitas vezes é também isso que acaba por ditar o seu fim.

Se esse é o seu caso, esperamos que essas palavras lhe sejam reconfortantes. Saiba que não está sozinha e que tem mais mulheres como você.

Esse mundo está cheio de mães que têm de enfrentar essa batalha sem ajuda e sem poderem se beneficiar dos conselhos preciosos de suas mães. Seja forte, e continue essa luta da melhor maneira! Você consegue!

** Texto de Leonardo Vieira, autor em Gravidez Online, onde esse texto foi publicado originalmente.

Tem interesse em morar, estudar, trabalhar ou simplesmente “turistar” pela Espanha? Te convido a acompanhar nosso conteudo e ficar por dentro de tudo que acontece! 🙂 Assine a nossa newsletter. É gratuito!


Se inscreva no blog e receba diretamente no seu email todas as nossas  novidades. Para entrar em contato, utilize o formulário abaixo.

Saludos!!

 

Taiana Jimenez

Sou brasileira, residente e apaixonada pela Espanha. Amante de viagens e da cultura espanhola, compartilho com vocês minha experiência e as melhores dicas para quem deseja morar, estudar ou turistar pela terra de Cervantes!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *